A convite da deputada federal Tia Eron (PRB) e do empresário Itamar Musse, o rei da Nigéria Ooni Adeyeye Enitan Babatunde Ogunwusi, Ojaja II, participou de um jantar de negócios no sábado (9), no bairro do Rio Vermelho, em Salvador.

A viagem inédita do rei ao Brasil, teve como intuito declarar a Bahia oficialmente como a capital iorubana das Américas. A visita insere-se dentro da proposta do rei Ooni para reaproximar e reunir os descendentes do grande ancestral Oduduwa espalhados pelos quatro cantos do mundo.

Na oportunidade foi apresentado o acervo de antigos objetos e obras de arte da Bahia, tendo como ponto alto, uma palestra sobre a história de jóias de ex-escravas baianas.

“Intermediar a vinda do rei Ooni ao antiquário de Itamar Musse e poder apresentar um acervo com obras riquíssimas como estas, pela sua história e valor cultural, é motivo de orgulho para a Bahia. Que elas possam ser conhecidas no mundo todo”, destacou a deputada Tia Eron.

Desde a sua ascensão ao trono de Oduduwa em outubro de 2015, o rei já realizou visitas semelhantes a países como Estados Unidos, Canadá, Gana e Reino Unido, mas escolheu a Bahia como representante da América Latina pela preservação da memória africana.

“Fiquei muito impressionado. Não sabia que encontraria um acervo deste porte aqui. Achava que não existia mais artigos destes preservados, acredito serem os únicos do mundo. Estou muito agradecido pelo convite da deputada e receptividade. Com certeza irei manter contato de negócios com a Bahia”, anunciou o líder africano.

O evento realizado no espaço do antiquário que leva o nome do empresário contou ainda com as presenças dos representantes da Ecowas Brazil – Chamber of Commerce, Câmara de Comércio Brasil Africa Cedeao- Feafro, além de outros reis e rainhas do Continente Africano.