Tornar Salvador uma referência de cidade na execução de ações de voluntariado é meta central do programa Salvador Capital Voluntária. Coordenada pela Semps, a iniciativa será lançada oficialmente pela Prefeitura em data a ser divulgada, e pretende mobilizar cidadãos, igrejas, empresas, instituições de ensino e organizações sociais para a criação de uma rede de voluntariado. Para isso, o programa contará com uma plataforma digital na qual a Semps atuará como um elo, fazendo mediação e catalogação entre colaboradores e representantes de instituições. A meta é obter 10 mil voluntários cadastrados, ativos e envolvidos com projetos sociais até 2020.

O programa foi previamente apresentado nesta segunda-feira (28) para cerca de 100 empresários de diversos ramos, no auditório do Banco do Nordeste, no Comércio. Estiveram presentes no evento a titular da Secretaria Municipal de Promoção Social e Combate à Pobreza (Semps), Tia Eron, o superintendente do BNB, Antônio Jorge Pontes, a gestora do Fundo do Idoso, Constança Galvão, e outros representantes e membros de entidades políticas, públicas e privadas.

Outra premissa do Salvador Capital Voluntária é mobilizar as organizações que desejam atuar em parcerias ou desenvolver ações que possibilitem reduzir os índices de pessoas em situação de vulnerabilidade social, promovendo inclusão. “A ideia de criar um programa nesses moldes surgiu pela necessidade de entender que o poder público não consegue abarcar tudo. Existe uma limitação que só consegue ser rompida quando é criado esse elo entre colaboradores e organizações. O objetivo é tornar Salvador uma capital mais fraternal, mais solidária e mais próxima dessa consciência cidadã, numa prática de alteridade”, explicou a titular da Semps, Tia Eron.

O programa também será voltado para interessados que quiserem fazer doações de recursos ou disponibilizar mão de obra de forma espontânea, sem remuneração, em prol de uma causa social. Na oportunidade, a Semps realizou a entrega de placa de agradecimento à Ambev, representada pela senhora Larissa Menezes, pela doação de 250 mil reais para o Fundo Municipal do Idoso, ação que incentiva a garantia dos direitos dos idosos em situação de vulnerabilidade e risco social da capital baiana.

O voluntário será capacitado e orientado acerca das legislações pertinentes às áreas de atuação. As ações poderão ser dirigidas às áreas de educação, esporte, apoio a mulheres, cultura e arte, crianças e jovens, pessoas em situação de rua, saúde, idosos, meio ambiente entre outras.