Os adversários políticos da deputada federal Tia Eron (PRB) têm divulgado calúnias a seu respeito. Um dos assuntos que insistem em atribuir à republicana é com relação a votação da reforma trabalhista. Tia Eron já declarou em diversas entrevistas que não participou da votação da reforma trabalhista, pois neste período estava licenciada do cargo de deputada federal e à frente da Secretaria de Promoção e Combate à Pobreza (SEMPS), em Salvador.

Um intenso trabalho de desarticulação das fakes News realizado pela equipe de comunicação da deputada Tia Eron já traz resultados. A matéria publicada pelo site http://www.deyvidbacelar.com.br/ retirou a foto da deputada da lista de deputados que votaram a favor da reforma trabalhista, mas não justifica o porquê Tia Eron esteve ausente da votação.

O departamento jurídico da republicana está atento para acionar conforme a lei às publicações falsas e caluniosas que tem o objetivo de desestabilizar a republicana.

Fake News
Ainda não existe uma legislação específica para punir quem dissemina notícias falsas no Brasil. Um dos grandes desafios do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) nas eleições de 2018 é o de conter as chamadas “fake News”. Para isso, foi criado um conselho consultivo que irá estudar soluções para o problema. O conselho é composto por representantes do Ministério da Justiça, Agência Brasileira de Inteligência (Abin), Comitê Gestor da Internet no Brasil (CGI), Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Safernet e Fundação Getúlio Vargas.

Alguns projetos tramitam na Câmara e no Senado para tornar crime a criação e disseminação de notícias falsas. Como por exemplo, o projeto de lei 473/2017, do senador Ciro Nogueira (PP-PI), que prevê prisão de seis meses a três anos e multa para quem divulga notícia que sabe ser falsa e que possa distorcer, alterar ou corromper a verdade.
Quem comete fake News no Brasil é enquadrado como crime contra a honra. Que, segundo o Código Penal, são os crimes de calúnia, injúria e difamação. Os três crimes têm penas semelhantes, mas toda detenção menor que 4 anos é convertida em cesta básica e outros serviços.

Saiba como identificar uma fake News
Existem algumas maneiras de identificar uma notícia falsa. A primeira é saber a origem. É de que veículo, que site? Quem assina a matéria? A matéria tem data? Geralmente, notícias falsas não indicam quando o fato narrado aconteceu. Por isso, é muito fácil que boatos antigos voltem a circular nas redes de tempos em tempos. Procure pelas fontes da notícia, e o principal de tudo, tenha cuidado com o que compartilha.